Trabalhos de conservação de solo e água são intensificados em Porto Mauá

Um dos casos de proteção de nascentes é na propriedade da família de Delvir e Geni Pagliari, localizada no Reservado do Mauá.

Trabalhos de conservação de solo e água são intensificados em Porto Mauá
Trabalhos de conservação de solo e água são intensificados em Porto Mauá

Ao longo dos meses de abril e maio, se intensificaram os trabalhos de manejo e conservação do solo e de água em Porto Mauá, no Noroeste Gaúcho. Com as condições climáticas favoráveis, foi possível realizar demarcação e limpeza de terraços já existentes em diversas propriedades, em uma ação conjunta entre Emater/RS-Ascar, Prefeitura e produtores, auxiliando na redução das perdas de solo e de água por escoamento superficial e erosão hídrica. Além disso, a proteção de nascentes passou a ser demandada por famílias locais, como forma de preservar a água existente na propriedade.

Um dos casos de proteção de nascentes é na propriedade da família de Delvir e Geni Pagliari, localizada no Reservado do Mauá. O objetivo da família é garantir o fornecimento de água para os animais, bem como preservar a nascente. O casal Deonir e Clair Turra também optou, neste ano, por proteger a nascente situada na localidade de Campo Alegre e, para isso, contou com o apoio da Emater/RS-Ascar e da Prefeitura.

O Conselho Estadual do Meio Ambiente reconhece, através da Resolução Consema nº 362/2017, como atividade de proteção sanitária, a construção de estruturas de captação de água e proteção das nascentes em atendimento às necessidades básicas de unidades familiares rurais. Neste contexto, a Resolução Consema nº 661/2017, em seu artigo 1º, reconhece a construção destas estruturas, podendo a Emater/RS-Ascar emitir boletim técnico para detalhamento e orientação dos produtores rurais.

O extensionista rural do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, Germano Buttow, explica que o solo e a água são recursos naturais fundamentais para a produção agropecuária, diante disso, são foco do trabalho desenvolvido pela Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters). “Devemos ter consciência de utilizá-los da maneira mais sustentável possível, seguindo os princípios norteadores da agricultura conservacionista, garantindo a produção e renda para a geração atual e preservando-o para as próximas”, destaca, ao lembrar que no município está sendo realizado também um Programa de Recuperação de Solos e Água.

Programa de Recuperação de Solos e Água

Resultado da união de esforços entre diversas entidades do município, as atividades desenvolvidas durante os últimos meses integram o Programa Municipal de Recuperação de Solos e Água, criado pela Lei Municipal nº 1.429, de 13 de novembro de 2018. Entre outros aspectos, a Lei prevê a melhoria dos acessos a propriedades rurais e a manutenção de estradas públicas do município de Porto Mauá, passando-se justamente pela conservação dos solos e de água nas lavouras.

O programa foi criado com a participação efetiva do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (Comder) e tem como objetivos recuperar e preservar nascentes; reduzir os processos de degradação do solo agrícola; aumentar o grau de proteção das áreas protegidas e recuperar as áreas degradadas; incentivar práticas de reaproveitamento da água; disponibilizar equipe técnica para realização de projetos de recuperação e conservação do solo e água; buscar por alternativas de contenção de erosão causadas pelas águas das chuvas ou nascentes; e manter as estradas em condições de uso adequado, de forma a garantir aos produtores rurais o transporte seguro dos insumos e safras agrícolas.

Esse programa também está em consonância com o trabalho desenvolvido pela Emater/RS-Ascar, parceira da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr). Técnicos da Instituição e das secretarias municipais de Agricultura e Meio Ambiente e de Obras realizam visitas para diagnóstico da realidade de cada propriedade e da sua inserção na microbacia. “Após a análise criteriosa da situação, inica a execução dos trabalhos necessários para adequar a propriedade rural aos objetivos propostos pelo programa”, explica o técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar, Charles Fernantes.

Os agricultores interessados em solicitar as atividades realizadas através do programa devem procurar a Emater/RS-Ascar ou a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.