Semana Santa estimula comercialização de pescado na região de Santa Rosa

O levantamento realizado pela Instituição aponta que mais de 285 toneladas de peixes devem ser comercializadas

Semana Santa estimula comercialização de pescado na região de Santa Rosa
Semana Santa estimula comercialização de pescado na região de Santa Rosa

Piscicultores e pescadores dos 45 municípios de abrangência da Emater/RS-Ascar da região administrativa de Santa Rosa se prepararam para atender à época de maior demanda na comercialização de pescado, a Semana Santa. O levantamento realizado pela Instituição aponta que mais de 285 toneladas de peixes devem ser comercializadas por produtores locais neste período, sendo aproximadamente 90% oriundos de açudes e outros 10% de rios. Ao longo do ano, a Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) está à disposição de piscicultores e pescadores artesanais interessados, por meio de orientações técnicas nas propriedades e realização de capacitações, sempre em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Entre as espécies de peixes que devem ser comercializadas em maior volume por produtores da região estão, na ordem, a carpa capim, a carpa húngara, a carpa prateada, a carpa cabeça grande e a tilápia. A comercialização destes peixes deve ocorrer principalmente nas propriedades, já que 289 produtores relataram assumir este formato neste ano. Também 16 pesque-pagues estarão incrementando as vendas e 11 feiras do peixe estão previstas na região, ou seja, houve uma diminuição no número de comercializações neste formato em função da pandemia da Covid-19, que exige protocolos específicos que serão seguidos para evitar a proliferação do vírus.

Cuidados na comercialização de pescado

Na semana de maior movimentação na comercialização de pescado, a Emater/RS-Ascar destaca orientações importantes em relação à venda no domicílio de pescadores artesanais e piscicultores. Entre as medidas que podem proteger os produtores e consumidores, no atual contexto de pandemia, está cumprir todos os protocolos indicados pelas autoridades em saúde já amplamente divulgados, assim como orientar a família e colaboradores a segui-los. Se alguém apresentar qualquer sintoma da doença respiratória deve se afastar imediatamente do trabalho.

Da mesma forma, mesmo que houver uma relação de amizade com o cliente, é importante lembrar que este não é o momento mais adequado para receber visitas em casa. É preciso evitar ao máximo a circulação de pessoas no interior da casa e na propriedade. Uma dica importante, neste sentido, é realizar a comercialização em locais abertos e bem ventilados. Importante também é atender os consumidores individualmente, evitando que se formem grupos de pessoas, sem critérios de distanciamento físico, que deve ser de no mínimo dois metros um do outro.

Não é o momento de abraços, apertos de mãos, beijos e conversas desnecessárias. Usar a máscara durante todo o período de atendimento é uma questão de cuidado básico com a saúde do produtor e do consumidor. A higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70% deve ocorrer após cada atendimento.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional Santa Rosa

Deise A. Froelich

dfroelich@emater.tche.br