RTC e cooperativas iniciam projeto pioneiro na prevenção de doenças da soja

O evento ocorreu no dia 05 de outubro, na área de pesquisa e tecnologia da CCGL, e contou com 12 das cooperativas associadas participantes da primeira fase do projeto

RTC e cooperativas iniciam projeto pioneiro na prevenção de doenças da soja

Com o objetivo de aprimorar o conhecimento técnico e prático na área da fitopatologia, a Rede Técnica Cooperativa - RTC promoveu o treinamento sobre a utilização de coletores de esporos para monitoramento de oídio e ferrugem na cultura da soja. O treinamento simboliza o início de um projeto pioneiro conduzido entre a RTC e as cooperativas, baseado em uma rede de coletores de esporos distribuídos pelo Estado, com o propósito de monitorar a flutuação do inóculo de Phakopsora pachyrhizi e Microsphaera diffusa, fungos causadores de ferrugem e oídio, respectivamente.

O evento ocorreu no dia 05 de outubro, na área de pesquisa e tecnologia da CCGL, e contou com 12 das cooperativas associadas participantes da primeira fase do projeto. Conforme o pesquisador da CCGL, Eng. Agr. Dr. Carlos Pizolotto, o treinamento buscou instruir os membros do departamento técnico das cooperativas sobre o uso dos coletores de esporos, visando ao monitoramento semanal da flutuação de inóculo de cada patógeno. - Posteriormente, os dados do monitoramento serão combinados a dados climáticos e, por meio de modelos matemáticos, devem auxiliar na predição de ambas as doenças no campo. O objetivo é qualificar as aplicações de fungicida e, consequentemente, elevar a produtividade da soja - salienta o pesquisador. Toda a inteligência gerada por meio deste projeto será disponibilizada via plataforma SMARTCOOP.

Para o coordenador de validação agrodigital da Cotrijal, Me. Leonardo Kerber, a iniciativa é uma maneira de auxiliar os técnicos a entender o funcionamento das doenças na soja, pois com a identificação do comportamento da ferrugem e do oídio é mais fácil oferecer um posicionamento correto aos produtores.

Segundo o Engenheiro Agrônomo da Cotrisul João Batista Acunha, o projeto é inovador e fundamental dentro desta linha de pesquisa (fitopatologia) e vem ao encontro dos anseios dos produtores para ajudar na tomada de decisão e minimizar os erros no momento do plantio da principal cultura.

Participam da primeira fase do projeto as cooperativas: Coopatrigo, Cotripal, Agropan, Cotrijal, Cotriel, Cotrisal, Coopermil, Cotricampo, Cotrisul, Cotrijuc, Cotribá e Coasa, além da CCGL, cooperativa que coordena a iniciativa por meio do projeto da RTC.