Práticas conservacionistas do solo são intensificadas no Noroeste gaúcho

A semeadura de lavouras e pastagens de inverno, que se intensificam práticas conservacionistas que contribuem com a fertilidade do solo

Práticas conservacionistas do solo são intensificadas no Noroeste gaúcho
Práticas conservacionistas do solo são intensificadas no Noroeste gaúcho

Com o outono e a proximidade do inverno, ciclos importantes encerram-se e outros se iniciam na agricultura do Noroeste gaúcho. É neste período entre a colheita de grandes culturas – a soja, presente em mais de 716 mil hectares e o milho, implantado em aproximadamente 139 mil hectares, nos 45 municípios de abrangência da Emater/RS-Ascar na região administrativa de Santa Rosa – e a semeadura de lavouras e pastagens de inverno, que se intensificam práticas conservacionistas que contribuem com a fertilidade do solo.

Amostragem e fertilidade

Neste período de planejamento e implantação das próximas culturas, um aspecto importante que merece a atenção é a fertilidade do solo, uma forma de obter o equilíbrio e, consequentemente, maior rendimento à produção agropecuária. Com o final do ciclo das culturas de verão, depois da safra fica somente a resteva cobrindo as lavouras. “Este é o momento propício para se realizar a coleta de amostras de solos e encaminhar para a análise química e física em laboratórios. O resultado mostrará ao produtor como se apresentam os níveis de nutrientes nas glebas da sua propriedade. Essa é uma informação importante para o planejamento dos próximos plantios, as culturas de inverno que vem a seguir ou as coberturas verdes, e os cultivos do próximo verão”, salienta o extensionista do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar, Fernando Berwanger.

A coleta das amostras deve ser feita adequadamente para expressar os resultados reais das quantidades de nutrientes disponíveis no solo, bem como esses resultados devem ser bem interpretados para obter a melhor indicação de adubação para cada cultura que será implantada, permitindo-lhe expressar seu melhor potencial produtivo.

A Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado, através de técnicos capacitados, presentes em cada município, oferece aos agricultores orientações em relação à correta coleta de amostras de solo para a interpretação dos resultados, bem como a indicação mais eficiente para adubação das culturas para produção de grãos e pastagens. Um solo fértil é essencial para resultados satisfatórios em qualquer tipo de produção agropecuária. Nos últimos dias tem sido muito comum acompanhar, nas lavouras da região, a aplicação de calcário para correção de acidez.

Práticas conservacionistas

As áreas que não forem aproveitadas para a produção agropecuária neste período, segundo Berwanger, constituem-se em uma oportunidade de o produtor implantar adubação verde para cobertura vegetal, que possui importância muito grande na conservação do solo. A utilização de adubos verdes no período de outono/ inverno já é bastante comum, sendo implantados entre março e junho, a exemplo da aveia branca e preta, ervilhaca, nabo-forrageiro, azevém, tremoço e centeio.

Leguminosas na adubação verde contribuem no fornecimento de nitrogênio para as próximas culturas, de interesse comercial, e protege o solo de erosão, assim como diminui a infestação de ervas daninhas e a proliferação de pragas e doenças, quebrando ciclos.

Outras práticas têm sido intensificadas como forma de proteger o solo e a produção agropecuária. Em Nova Candelária, por exemplo, entre os meses de março e maio foram implantados terraços em 136 hectares de 14 produtores. A demarcação é realizada pela Emater/RS-Ascar e a construção recebe apoio da Prefeitura.

Para orientações técnicas sobre fertilidade e práticas conservacionistas do solo, procure o escritório da Emater/RS-Ascar de seu município.

Crédito fotos: Elir Paulo Pasquetti, Emater/RS-Ascar

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional Santa Rosa

Deise A. Froelich

dfroelich@emater.tche.br