Horta didática promove conhecimento e acesso à alimentação diversificada e saudável

 O engajamento de voluntários da comunidade também é outro ponto de destaque do projeto

Horta didática promove conhecimento e acesso à alimentação diversificada e saudável
Horta didática promove conhecimento e acesso à alimentação diversificada e saudável

Inserida num contexto de promoção de segurança e soberania alimentar, uma horta didática permite que estudantes de Porto Vera Cruz conheçam mais sobre a produção e consumo de alimentos saudáveis, assim como promove a consciência sobre o reaproveitamento de materiais que teriam como destino o lixo comum. O Projeto “Porto e Hortas Escolares” é promovido pela Emater/RS-Ascar com o envolvimento da comunidade escolar do educandário municipal Dom Pedro I - que recebe alunos de Lajeado Cafundó e de outras localidades -   e das secretarias municipais de Educação, Obras e Agricultura.

A ideia surgiu em uma reunião, no mês de janeiro, entre a equipe da Emater/RS-Ascar e a secretária municipal de Educação Inês Lima, e foi qualificada por professoras e agentes educacionais da escola, que propuseram um teor pedagógico mais abrangente à proposta. Além de promover a discussão sobre o envolvimento com a alimentação saudável e cuidado com o meio ambiente, através de uma relação harmônica com a natureza e reaproveitamento de materiais recicláveis, o formato da horta também tem finalidade didática no que tange a utilização de figuras geométricas.

Em um espaço antes ocioso, a horta passou a ser implantada na segunda quinzena de maio, sendo que nos próximos dias os extensionistas da Emater/RS-Ascar Gilberto Barbaro e Eliton Horn instalarão um sistema de irrigação, cujo projeto técnico foi elaborado por ambos, aproveitando por gravidade a água do açude que fica no terreno da escola.

 O engajamento de voluntários da comunidade também é outro ponto de destaque do projeto. O horto medicinal, contemplado no espaço, teve a participação direta, por exemplo, de doadoras de mudas de plantas bioativas, sendo mães e avós de estudantes e moradores da comunidade.  “Em um momento oportuno, com medidas de segurança, pretendemos realizar uma atividade coletiva para abordarmos temas pertinentes à educação e promoção da saúde a partir das plantas cultivadas na horta, além de promover a troca de sementes e mudas”, explica a extensionista da Emater/RS-Ascar, Neiva Marinês Bencke.

As entidades e voluntários envolvidos no projeto têm a expectativa de que ideia se multiplique nas residências dos estudantes e que a alimentação escolar seja incrementada com as verduras e condimentos produzidos na própria escola.