Emater/RS-Ascar estima maior safra de trigo da história

A produtividade estimada é de 2.822 kg/ha, com uma produção projetada de 3.990.227 toneladas, a maior da história

Emater/RS-Ascar estima maior safra de trigo da história

No início desta semana (07/06), a Emater/RS-Ascar realizou um Café para a Imprensa para divulgar a Estimativa Inicial da Safra de Inverno 2022. De acordo com o levantamento apresentado no evento e o Informativo Conjuntural, produzido e publicado nesta quinta-feira (09/06) pelas gerências de Planejamento e Comunicação da Instituição, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), a estimativa inicial de cultivo de trigo para a safra 2022 indica a área de 1.413.763 hectares, significando uma elevação de 15,04% em relação à safra anterior. A produtividade estimada é de 2.822 kg/ha, com uma produção projetada de 3.990.227 toneladas, a maior da história.

A Safra de Inverno em geral, todos os graõs, também será a maior, com estimativa de cinco milhões de toneladas.

A semeadura está em fase inicial e, durante o período, foi realizada com moderação ou foi realizada em solo com umidade acima da ideal, o que provocou maior revolvimento e grande aderência de solos argilosos nos componentes das semeadeiras. A semeadura com alta umidade dificultou a uniformização da profundidade e a cobertura das sementes.

A estimativa inicial de cultivo de canola para a safra 2022 indica a área de 48.457 hectares, representando elevação de 27,4% em relação à safra anterior. A produtividade estimada é de 1.885 kg/ha, com uma produção projetada de 91.346 toneladas. Os cultivos são mais concentrados na região Oeste do Estado e estão em fase de implantação.

 A estimativa inicial de cultivo de aveia branca para a safra 2022 indica uma área de 392.507 hectares, sendo 14,26% superior à safra anterior. A produtividade estimada é de 2.217 kg/ha, com uma produção projetada de 870.240 toneladas.

A estimativa inicial da área de cultivo de cevada para a safra 2022 é de 36.727 hectares, representando uma elevação de 0,84% em relação à safra anterior. A produtividade estimada é de 2.958 kg/ha, com uma produção projetada de 108.638 toneladas.

CULTURAS DE VERÃO

A colheita da soja alcançou 99% da área cultivada, 1% ainda está em fase de maturação para colher. Apesar do tempo sem chuvas durante a maior parte do período, a operação evoluiu pouco, condicionada pela elevada umidade presente nos solos e por aguardar a finalização de ciclo de alguns replantes realizados após o mês de janeiro. Outro fator que determinou a lentidão foi a presença de plantas espontâneas de inverno em meio às entrelinhas, principalmente azevém, que além de dificultar o processo mecânico de corte em razão do embuchamento de colheitadeiras, acarretou em maior dificuldade na diminuição de umidade dos grãos e aumentou o teor de umidade e de impurezas nas cargas de soja, elevando os descontos.

Mesmo com reduzido volume de chuvas registradas no período, a colheita do milho evoluiu lentamente para 95% dos cultivos. O avanço pouco expressivo foi causado pela alta umidade relativa do ar predominante, que dificultou a perda de umidade nas espigas. Outro fator é que, em algumas regiões, parte das estruturas de recebimento e armazenagem de grãos ainda está destinada exclusivamente à soja. As lavouras remanescentes localizam-se principalmente na região Centro e Sul do Estado, onde a operação é feita em forma mais escalonada, e no Oeste e Noroeste, onde houve replantio ou plantios em safrinha, após o período de estiagem.

A colheita de milho para silagem superou 95% da área destinada à produção no Estado. A expectativa de produtividade é de 28 t/ha, representando uma redução de 35% na expectativa inicialmente projetada. A colheita da safra 2021/2022 foi finalizada.

A cultura do feijão 2ª está com avanço rápido na colheita devido à pequena área cultivada e à grande disponibilidade de máquinas para a realização da operação. A expectativa atual de produtividade é aproximadamente 1.600 kg/ha, sendo superior à obtida em 1ª safra.

PREVISÃO DO TEMPO

A próxima semana terá frio e geadas no RS. Nesta quinta-feira (09/06), o tempo firme, com variação de nuvens e temperaturas amenas, vai predominar em todo o Estado. Na sexta-feira (10/06), o ingresso de ar seco e frio provocará o declínio das temperaturas e áreas próximas ao Litoral; nos setores Norte e Nordeste, há possibilidade de chuvas fracas e isoladas. No sábado (11/06) e domingo (12/06), a presença do ar seco e frio manterá o tempo firme e as temperaturas baixas, com mínimas negativas em algumas áreas e formação de geadas na maioria das regiões. Na segunda (13/06) e terça-feira (14/06), o tempo firme e frio seguirá predominando em todo o Estado e ainda ocorrerão geadas no Planalto, Serra do Nordeste e nos Campos de Cima da Serra. Na quarta-feira (15/06), o tempo seco vai predominar, mas o frio perderá intensidade, e as temperaturas terão uma ligeira elevação. No decorrer do dia, a aproximação de uma área de baixa pressão vai aumentar a nebulosidade, e poderão ocorrer pancadas de chuva na Fronteira Oeste e na Campanha.

Os volumes de chuva previstos são baixos e deverão ser inferiores a 5 mm na maioria das regiões. Somente no Norte e no Extremo Sul, poderão ocorrer totais próximos de 10 mm em alguns municípios.

Projeto integra Clubes de Mães e alunos da Apae em Guarani das Missões

Um projeto está transformando as percepções de vida e ressignificando a relação social entre alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e a comunidade de Guarani das Missões. O projeto “Apae no Clube de Mães” (Amãe), resultado da parceria entre Apae, Associação Municipal de Clube de Mães e Emater/RS-Ascar, busca promover a inclusão social das pessoas com deficiência junto às atividades de clubes de mães do município e a troca de experiências, proporcionando o bem-estar e a qualidade de vida dos envolvidos. A proposta conta com o apoio da Administração Municipal, Secretaria Municipal de Educação e primeira-dama Nadir Karlec Jaskulski.

O município possui 22 clubes de mães organizados em comunidades do interior e em bairros da cidade.  Diante disso, está sendo realizado um cronograma de visitas dos alunos da Apae nas sedes dos clubes de mães de Guarani das Missões. Nestes encontros, os alunos são acolhidos pelas mulheres e inseridos em atividades de artesanato, culinária, brincadeiras, conversas sobre formas de plantio, produção de alimentos, criações de animais, entre outras. Além disso, a troca de experiências contempla a contação de histórias sobre o lugar envolvendo pessoas da comunidade, sendo uma oportunidade para resgatar a identidade e a história local.

A extensionista da Emater/RS-Ascar Catiane Teikowski Roslaniec conta que já o primeiro encontro, no dia 07/06, foi marcado pela emoção. O deslocamento de ônibus para muitos foi uma novidade e motivo de alegria. No encontro realizado no Clube de Mães Esperança, da Linha do Mel, os alunos foram envolvidos em apresentações artísticas, típicas juninas e de chula, assim como acompanharam uma mensagem em libras. Para promover a integração entre o clube de mães anfitrião e os visitantes, o lanche foi preparado em conjunto, sendo que durante o preparo das calças viradas conheceram-se melhor e trocaram experiências.

As diferentes ações buscam contribuir também para uma participação mais ativa das pessoas com deficiência no ambiente escolar, no mercado de trabalho e na vida social, colaborando com a promoção da cidadania e da qualidade de vida.

“A convivência entre os envolvidos proporciona novas experiências a todos, combatendo o preconceito, estimulando o respeito às diferenças e valorizando a diversidade por meio do reconhecimento da igualdade”, acrescenta Catiane.

Para a realização dos encontros, os clubes de mães também se prepararam com uma sensibilização, de modo a receber positivamente as pessoas com deficiência e contribuir para a criação de um ambiente solidário e de integração, assim como combater o preconceito e a discriminação. Até o final de 2022, estão previstos mais 14 encontros entre os Clubes de Mães e os alunos da Apae.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Santa Rosa

Jornalista Deise A. Froelich