CCGL lança Mais Sólidos Maior Valor na 22a Expodireto

​​​​​​​Programa visa a rentabilidade dos produtores que investem em teor de sólidos no leite

CCGL lança Mais Sólidos Maior Valor na 22a Expodireto

Em conformidade com as tendências do mercado mundial de lácteos e a demanda dos produtores, a CCGL lançou durante a Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque, o programa Mais Sólidos Maior Valor CCGL. O projeto inovador inicia um novo momento no sistema de precificação do leite, com base na quantidade de gordura e proteína entregues pelos produtores.

Para o Presidente da CCGL Caio Vianna o Mais Sólidos é um programa extremamente importante para os produtores e para a produção de leite brasileira, pois é a primeira empresa de grande porte que sinaliza para os produtores o pagamento relacionado a parte sólida do leite, algo que estimula a melhoria de rendimento na parte industrial e na busca por um leite mais concentrado, gerando economia de transporte, esfriamento e buscando animais mais eficientes nesses tipos de produção.  – Nós entendemos que este programa na CCGL vai favorecer muitos produtores inclusive também a possibilidade de melhoria dos sólidos do leite pela genética, mas principalmente pela nutrição, pela alimentação. E como a gente acredita que o Brasil tem condições de uma alimentação mais equilibrada em termos de custo do que outros países a busca por sólidos pode favorecer muito a produção nacional  – completa Caio Vianna.

Conforme o Gerente de Suprimento do Leite da CCGL, Jair da Silva Mello, o objetivo principal do programa é valorizar o esforço dos produtores associados, que investem diariamente na produção de maior teor de sólidos no leite, contribuindo para elevar o rendimento industrial, ganho logístico e a competitividade de toda a cadeia produtiva. – Quanto mais quilos entregues no mês, maior será o valor recebido. O resultado econômico propiciado por essas mudanças será repassado aos produtores, tanto através da remuneração direta do leite quanto nos resultados da indústria, divididos entre os associados – resume Jair.

Segundo o Supervisor Técnico da CCGL, Eng. Agr. Luis Otávio Lima a estratégia foi pensada para que os produtores conheçam o novo sistema e tenham tempo para realizar as melhorias no rebanho, levando em conta aspectos relacionados ao manejo alimentar, bem-estar e conforto, com foco em muito leite com mais sólidos. – A migração para o novo sistema será gradual, iniciando em 10 % com base na gordura mais proteína entregues e 90 % no modelo de precificação atual. Com o passar do tempo, essa proporção aumentará até que 100 % da composição do preço tenham como base apenas os sólidos – salienta Luis.

O pesquisador e consultor da Transpondo Dr. Wagner Beskow explica que com esse novo modelo de pagamento será possível todos os produtores ganharem, pois vai levar em consideração volume e sólidos, sendo um sistema mais estável, saudável e produtivo, com recompensa adequada para incentivar os produtores. – Para atingir altos teores de sólidos é preciso focar principalmente nos aspectos nutricionais, pois é através de uma dieta balanceada e o comprometimento de todas as partes que compõe a cadeia leiteira, é que atingiremos os melhores resultados no campo – ressalta Wagner.

Para as produtoras da CCGL Mainara Muhl Trindade e Renata Milani o programa será um desafio, mas valorizará o trabalho da cadeia leiteira como um todo, pois os animais serão mais saudáveis, o leite mais nutritivo e consequentemente a qualidade e rentabilidade no campo aumentarão.