A importância do trabalho veterinário na atividade leiteira

​​​​​​​Associado da Unitec, Dany dos Santos Pereira atua na região com assistência técnica, clínica e cirurgia de animais

A importância do trabalho veterinário na atividade leiteira

O papel do médico veterinário nas propriedades que produzem leite é de fundamental importância, já que ele é o profissional que garante a sanidade do rebanho, cuidando de todas as fases da vida dos animais.

O trato e alimentação do plantel também são de competência deste profissional, bem como o controle de doenças e a prática de bem-estar animal. As orientações ao produtor também contemplam a ordenha, conservação e transporte do leite.

O resultado de um trabalho bem executado é um produto de qualidade e livre de doenças, em uma área que tem se modificado ao longo dos anos. “É notória a tecnificação do setor e, cada vez mais, a assistência técnica (manejos sanitário, alimentar e reprodutivo) se torna mais importante. Transmitir conhecimento é a maior evolução para todos. E as áreas de clínica e cirurgia seguem fortes, visto que saúde e doença são inerentes à vida”, destaca o médico veterinário Dany dos Santos Pereira.

Médico veterinário há 24 anos e associado da Unitec há quase 20, Dany tem atuação na área de pecuária leiteira, prestando assistência técnica, clínica e cirurgia de vacas leiteiras na região, nos municípios de Santa Rosa, Santo Cristo, Tuparendi, Giruá, Senador Salgado Filho, Ubiretama e Cândido Godói.

Atualmente, ele tem convênio com as cooperativas Cotrirosa, de Santa Rosa, e Coopasc, de Santo Cristo. “O trabalho do médico veterinário é de fundamental importância para a atividade leiteira, seja cuidando diretamente dos animais com as atividades de clínica e cirurgia, ou transmitindo conhecimentos ao produtor durante a assistência técnica”, reforça.

De acordo com o profissional, a atividade leiteira encontra-se em tempos de mudança: o número de produtores diminui, ao mesmo tempo em que o número de animais e a produtividade aumenta, bem como o valor unitário dos animais.

“Saber o que e quando usar, seja na clínica ou na assistência técnica, é prioritário, pois apesar do preço do leite ser pequeno, o volume mensal é bastante e qualquer percentual a mais ou a menos interfere bastante na saúde da atividade. E, para conseguirmos isso, além de bons e confiáveis profissionais, um trabalho frequente e contínuo de monitoramento e melhoramento de todas as partes envolvidas na eficiência da atividade leiteira é essencial”, finaliza Dany.

Texto: Assessoria de comunicação Unitec

Jaqueline Peripolli / Jornalista MTE 16.999

Foto: Divulgaçã